terça-feira, 13 de dezembro de 2022

LIVR' À MÃO

 O DIÁRIO de um Banana 9

       ASSIM VAIS LONGE                        

de Jeff Kinney


Quando começaram as férias de verão, a mãe do Greg, resolveu organizar uma viagem de carro para toda a família, pois entendeu que assim seria a melhor maneira de estarem juntos.

Durante a viagem, viveram muitas aventuras, desde ganhar um porco, que tiveram que levar com eles e este comeu-lhes a comida. Serem atacados por gaivotas assassinas quando iam para o parque aquático. Já neste parque, foram assaltados por uns barbudos. 

No regresso a casa tiveram uma avaria e, como não se podiam deixar ali o carro abandonado, o pai deu o cartão de crédito ao Greg e uma lista de compras, mas ele não comprou nada do que estava na lista, deixando toda a família à beira de um ataque de nervos.

Com a ajuda de dois homens conseguiram, finalmente, chegar a casa depois de umas férias muito atribuladas.

Gonçalo Sousa, 5º B

quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

PARTILHANDO NOS MÉDIA

 


Revisitando os clássicos

Ler os clássicos é buscar os fios do novelo de muitas obras modernas e contemporâneas. Como não podemos afirmar que as obras são puras, foi na leitura da Ilíada e da Odisseia de Homero e na Eneida de Virgílio que encontrei o Surgimento da curiosidade e a forma de explicar os problemas da existência. Assim, criaram-se deuses imortais antropomórficos, isto é, que assumiam a forma humana e agiam à semelhança dos homens, lutando entre si, e, como os humanos, sentiam ódio, amor, casavam e tinham filhos.

 

Ilíada

Parte 1 – Os antecedentes da guerra de Tróia

 

A Ilíada é o mais antigo texto literário da Europa e da cultura ocidental. Inicialmente uma composição oral, memorizada e recitada em ocasiões especiais, terá passado à forma escrita no século VIII a.C. pelas mãos de Homero. O aparecimento da primeira epopeia está ligado ao nascimento de uma classe de burgueses comerciantes nas cidades da Jónia, em Mileto e Esmirna, que difundem o uso antigo da escrita, dando valor artístico a uma cultura poética informe. Homero eleva ao nível de obra de arte uma parte da matéria tradicional épica improvisada, escrevendo sobre o papiro, a Ilíada. Trata-se de um poema épico trágico de XXXX organizados em 24 cantos que relata 55 dias do último ano da guerra de Tróia (também conhecida como Ilión), um conflito lendário entre uma aliança de cidades-estado gregas e a cidade de Tróia. Embora contenha aspetos míticos, a história poderá basear-se num conflito entre micénicos e hititas do século XII a.C.

A cadeia de eventos que levou à guerra teve inicio quando os deuses se encontravam reunidos para celebrar as núpcias de Tétis e Peleu. A Discórdia lançou para o meio do casamento uma maça de ouro, dizendo que deveria ser dada à mais bela das três deusas: Atena, Hera ou Afrodite. Como ninguém queria encarregar-se de escolher entre as três deusas, Zeus ordenou a Hermes que as levasse ao monte Ida onde Páris julgaria a questão. Cada deusa prometeu a Páris a sua proteção e alguns dons especiais se ele decidisse a seu favor. Hera ofereceu-lhe o domínio da Ásia, Atena prometeu-lhe sabedoria e a vitória em todos os combates e Afrodite limitou-se a oferecer-lhe o amor de Helena de Esparta, a mulher mais bonita do mundo. Páris decidiu que era Afrodite a mais bela. No entanto, Helena já era casada com Menelau, rei de Esparta, e tinham uma filha, Hermione, com nove anos.

Quando Tíndaro, pai de Helena, decidiu que era hora de Helena casar, apresentou-se uma multidão de pretendentes, entre eles estavam quase todos os príncipes da Grécia. Com receio de ao escolher um pretendente descontentar os outros e gerar uma guerra, Tíndaro segue o conselho de Odisseu: fazer com que os pretendentes jurassem aceitar a escolha de Helena e socorrer o eleito em caso de necessidade. Foi esse juramento que Menelau invocou, alguns anos mais tarde, e que obrigou todos os chefes gregos a partirem para a guerra de Tróia. Em reconhecimento do auxílio de Odisseu, Tíndaro consegue que Icário dê a sua filha Penélope, prima de Helena, em casamento a Odisseu. A fidelidade conjugal de Penélope granjeou-lhe a fama tornando-a célebre na lenda e literatura antigas. A sua lenda é narrada sobretudo na Odisseia.

Professora Antónia Cunha

LEITURA ORIENTADA - Projeto "Escola a Ler"

 


COMENTÁRIO AO CONTO “SAGA” DE SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

 

Na minha opinião, o conto “Saga” é um conto com várias lições de vida e transmite para seguires os teus sonhos.

                                                                                                                                       Gabriel Sá, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto “Saga” dá-nos uma lição de vida: dar sempre uma segunda oportunidade a toda a gente. Hans seguiu o seu sonho sem a permissão do pai, fugindo de casa, e depois, quando ele queria voltar para casa, o pai não o permitiu. Este poderia ter-lhe perdoado.

                                                                                                                                       Pedro Silva, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto “Saga “ é uma lição de família sobre um pai e um filho que conseguiu concretizar o seu sonho de ser marinheiro.

                                                                                                                           Luciana Rodrigues, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto "Saga" é um livro muito divertido para ler porque fala de viagens e de navegação, mas é uma história muito curta e, por isso, não é dos meus livros prediletos. A mensagem que transmite é seguir os nossos sonhos, mesmo se houver consequências.

                                                                                                                                  Rui Domingues, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto “Saga” transmite uma mensagem: dar uma segunda oportunidade às pessoas.

                                                                                                                                          João Alves, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto “Saga” é muito interessante e deixa-nos a refletir. É um conto que nos diz que devemos talvez dar mais oportunidades aos outros e não devemos pensar só em nós. Transmite-nos ainda que os pais devem deixar os filhos seguir os seus sonhos independentemente de não concordarem.

                                                                                                                                   Eva Francisco, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto "Saga" é um conto que tem uma moral muito interessante, pois Hans, que queria ser marinheiro, não foi autorizado pelo pai. Fugiu de casa para concretizar o seu sonho e quis voltar para casa, mas o pai não aceitou. Acho que todas as pessoas têm direito a uma segunda oportunidade.

                                                                                                                            Afonso Domingues, 8ºA

 

Na minha opinião, o conto “Saga” é um conto que dá lições para aprendermos que devemos dar oportunidades uns aos outros e cumprir os sonhos que queremos.

                                                                                                                                  Rafaela Freitas, 8ºA

 

A meu ver, o conto "Saga" tem uma mensagem muito bonita baseada na desavença entre um pai e um filho, pois Hans queria ser marinheiro e o pai não deixava, então ele fugiu de casa para o ser. No final, o pai faleceu sem perdoar o filho e Hans não conseguiu cumprir plenamente o seu desejo de ser marinheiro. Esta história ensina-nos que todos devemos dar uma segunda chance a alguém e que os nossos sonhos não são tudo, já que nem sempre são como planejamos.

                                                                                                                                           Iris Neves, 8ºA

 

Na nossa opinião, o conto “Saga” é uma grande história, embora tenha vários detalhes que deveriam ter um desfecho diferente, como por exemplo, Hans voltar a Vig. Mas, além disso, também é muito interessante porque nos ensina que podemos alcançar sempre os nossos sonhos, temos apenas de trabalhar para o conseguir.

                                                                                                 Guilherme Dias e Marco Machado, 8ºA

 

A História “Saga “ fala de um jovem que sempre quis ser marinheiro, mas o pai não tinha o mesmo ponto de vista que o filho. Este, teimoso, decidiu seguir o seu sonho sem respeitar a opinião do pai. Na minha opinião, o filho devia ter conversado melhor com o pai para que não houvesse conflitos entre eles. Este conto transmite emoções boas e más.

                                                                                                                                         Hugo Lapa, 8ºA

 

Na minha sincera opinião, o conto “Saga” pode servir de inspiração para alguns adolescentes que querem seguir os sonhos, mas os pais discordam com os sonhos deles e não os deixam seguir o seu próprio caminho. É um conto muito bem redigido e criativo que nos conta que seguir um sonho, sem os pais a favor, tem consequências severas, como o arrependimento. O que aconteceu neste conto foi que Hans seguiu o seu sonho sem o consentimento do pai. Hans fugiu de casa e tornou-se marinheiro, vindo a ser capitão de um navio, mas depois, devido a alguns condicionamentos, teve ao longo dessa jornada de abandonar a vida de marinheiro e tornar-se comerciante, não fazendo tantas viagens como esperava, tendo-se assim arrependido de ter saído de casa e nunca mais ter falado com o pai.

                                                                                                                            Martim Domingues, 8ºA

 

Em relação ao conto " Saga", eu achei-o interessante, principalmente quando Hans se sente frustrado por não ter conseguido concretizar os seus verdadeiros desejos e nunca ter conseguido regressar a Vig por causa de um ressentimento do seu pai. Acho que é um conto bonito, que dá o que pensar e que divide bastantes opiniões.

                                                                                                                                          Eva Soares, 8ºA

 

"Saga" é um conto escrito por Sophia de Mello Breyner Andresen, que fala sobre a vida de um jovem dinamarquês que deseja ser marinheiro, contudo o pai que passou pela experiência de perder os irmãos no mar não o permite, então ele foge num barco que saia da ilha. Ele vive uma vida de sucesso, contudo insatisfeito, pois não se tornou um verdadeiro marinheiro e não regressou a Vig. Na minha opinião, é uma história que, mesmo não sendo muito extensa, evidencia várias lições de vida importantes como a necessidade de resolver os conflitos com o diálogo e a verdadeira gravidade das decisões precipitadas.

                                                                                                                                   Aida Gonzalez, 8ºA

 

O conto “Saga” narra o desejo de Hans, protagonista deste conto! A história relatada pode transpor-se para a atualidade, fazendo-nos pensar que o assunto tratado pode acontecer a qualquer um de nós! Ambicionamos muito algo, mas, por vezes não temos o apoio familiar ou dos amigos ou até somos proibidos de concretizar esse sonho/ambição, acabando por sofrer as consequências: separação/corte com os laços familiares, como aconteceu na história, Hans partiu em busca do seu SONHO na tentativa de ser Feliz! Destaco também o título que, na minha ótica, nos remete para uma história de família que atravessa gerações, sendo este o grande desejo de Hans, que a história da sua vida merecesse ser contada de geração em geração, contudo o destino foi traidor… Identifico-me com Hans, um jovem sonhador, inteligente, destemido, corajoso, apaixonado pelo mar!!!

                                                                                                                              Francisco Correia, 8ºA